Páscoa promete movimentar a economia nos supermercados da região

Com a retomada na economia progredindo e o setor supermercadista com melhores expectativas de venda, a Páscoa parece um bom momento para os supermercados apostarem em uma porcentagem de vendas maior do que o apresentado nos anos anteriores. Segundo a APAS (Associação Paulista de Supermercados), o setor espera um aumento de 5% nas vendas do período este ano, acima dos 4% esperados no ano passado.

Paulo Nascimento Luzio, associado da Rede Bom Lugar, conta que desde o ano anterior o setor anda mais confiante sobre as vendas sazonais, e que os chocolates e peixes, apesar de timidamente, voltam a fazer parte da Páscoa do consumidor. “Nós sentimos o mercado melhor desde o Natal de 2018, que foi melhor do que o de 2017. Desde então, estamos notando o cliente mais confiante para retomar antigos hábitos, como o de comer bacalhau e outros peixes na quaresma e consumir mais chocolate”.

Paulo comenta que o preço do chocolate não assusta tanto o consumidor, mas que o peixe e seus derivados podem causar estranhamento. “No segmento de chocolates não houve grande diferença de preço, o que ocorreu foi a diminuição de peso de alguns ovos tradicionais e o preço mantido pelas empresas. Já em relação ao bacalhau, merluza, manjuba e enlatados, houve realmente uma alta significativa. Isso ocorre porque esses produtos são cotados em dólar e do ano passado pra cá ocorreu um aumento notável do dólar e ele reflete diretamente no segmento de peixes”.

Sobre o perfil do comprador, Luzio afirma que os que mais dão importância à cultura do chocolate são os jovens e seus pais. “Observamos, principalmente, famílias com crianças ficarem mais empolgadas com esta época. Pais querem presentear seus filhos e compram ovos antecipadamente. Isso, fora os estojos de bombons, barras e colombas pascoais, que saem bastante. As crianças esperam esse período quase tanto quanto o Natal.”, afirma o associado.